sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Movimento realizado em Turmalina clama pela liberdade de médico acusado de abusos sexuais


Protesto foi realizado na tarde desta sexta-feira (24), na região Central de Turmalina. Pelo menos cinco mulheres denunciaram o médico.

Dezenas de mulheres, pacientes e ex-pacientes do ginecologista M.P.C.S, se reuniram na tarde desta sexta-feira, 24 de outubro, para protestarem contra a prisão preventiva do profissional, investigado por crimes sexuais em Turmalina e Capelinha, no Vale do Jequitinhonha.

O médico foi preso na última sexta-feira (17), no posto de saúde do bairro Pau D’Óleo e continua na cadeia pública da cidade, após ter o pedido de relaxamento de prisão negado pela Juíza da Comarca de Turmalina.

Com cartazes em punho, as manifestantes clamaram pela liberdade do médico, que de acordo com vários relatos é um profissional exemplar e muito querido por todos no município. Várias publicações em redes sociais acusam as denunciantes de mentirosas e que o médico seria incapaz de cometer tais atos.

Investigações


A prisão do médico foi solicitada pelo Delegado, Dr. Felipe Pontual Meira Rosa, após cerca de dois meses de investigações, que começaram depois que quatro vítimas procuraram a Polícia Civil para denunciar o profissional.  

De acordo com o delegado, o ginecologista usava de fraude para praticar os atos libidinosos, dizendo que a forma como examinava as pacientes fazia parte de um protocolo de atendimento na área de ginecologia.

Conforme a investigação, o médico negava a entrada de enfermeiras ou acompanhantes para o atendimento às pacientes e, muitas vezes, não fazia uso de luvas. Ele também tentava masturbar as mulheres que, ao perceberem, interrompiam o ato. Ainda segundo a polícia, enquanto atendia em outra cidade, ele expôs o órgão sexual sem que a vítima percebesse e tentou penetrá-la.

Ainda de acordo com Felipe Pontual, o crime do qual o médico é suspeito está previsto no artigo 215 do Código Penal Brasileiro como “violação sexual mediante fraude”, que é quando o criminoso engana a vítima para praticar o abuso sexual. Conforme o delegado, as vítimas costumam suspeitar que algo está errado, mas não poderiam afirmar que era um crime. “Nesse caso, ele utiliza do ardil dizendo que faz parte do exame, mas não faz. É importante para que outras vítimas vejam e possam procurar (a polícia)”, explica o delegado. A pena para este crime varia de dois a seis anos de prisão.
O que diz a defesa?

O advogado de defesa do médico, que não quis ter o nome divulgado, informou que algumas notícias veiculadas causaram estranheza, uma vez que o inquérito ainda está em tramitação, mas que o médico sequer figura como indiciado, apenas investigado, e que confia plenamente na inocência do suspeito, haja vista a manifestação e a comoção da população a favor dele.
Relaxamento de prisão

O pedido de relaxamento de prisão do ginecologista foi negado na tarde de quarta-feira, 22 de outubro, pela Juíza da Comarca de Turmalina, Caroline Rodrigues. Com a negação, a defesa do médico informou que iria providenciar um pedido de habeas corpus junto ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

Fonte: Aconteceu no Vale

Prefeitura de Capelinha oferece desconto médio de 30% para registro de imóveis

A Prefeitura de Capelinha está oferecendo desconto médio de 30% no Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) a proprietários de lotes, casas ou terrenos urbanos ou rurais ainda não registrados em cartório.

O desconto é válido apenas para imóveis em bairros regularizados, com registro em cartório. O Desconto não se aplica a imóveis financiados pela Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e outras entidade financeiras. Os interessados devem procurar os cartórios de 1º e 2 º ofício para darem entrada no processo.

Aproveite o desconto e faça o registro do seu imóvel. O desconto será dado até o dia 31 de dezembro. Para maiores informações, basta procurar o Departamento Municipal de Arrecadação na Praça do Povo, 50, Centro, ou pelo telefone (33) 3516-1537.

Prefeitura de Capelinha decreta ponto facultativo na segunda-feira, 27 de outubro, antecipando comemoração do dia do Servidor Público

A Prefeitura de Capelinha decretou ponto facultativo nas repartições públicas da administração Municipal na próxima segunda-feira, dia 27 de outubro. O recesso tem por finalidade antecipar as comemorações do dia do Servidor Público, instituídas por lei no dia 28 de outubro.

Serviços da Saúde irá funcionar em horário reduzido

Com o recesso, apenas as Unidades de Saúde nos Bairros, Secretaria de Saúde e Farmácia Básica funcionarão normalmente até ás 12 horas. Já o Centro Viva Vida “Vó Marieta” funcionará em horário normal das 07 á 17 horas.

Escolas Municipais e Creches funcionam normalmente

A Secretaria de Educação, Escolas Municipais e Creches funcionarão normalmente. O serviço segue um calendário próprio.

Cemig comunica desligamento para obras na rede elétrica de Capelinha

A Companhia Energética de Minas Gerais – Cemig informa que na próxima segunda-feira (27/10), realizará obras de reforma e reforço, na Rede de Distribuição Urbana de Capelinha.

Com a remoção 03 postes e substituição de 05 vãos de baixa tensão de rede convencional por rede isolada, essa obra tornará a rede mais segura, garantindo uma maior confiabilidade do fornecimento de energia para a população, a indústria e o comércio local, melhorando também a interação com a arborização urbana.

Para executar esse serviço com segurança, será necessário interromper o fornecimento de energia de 10h às 15h nos seguintes endereços:

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Pacientes realizam movimento pela liberdade de ginecologista preso em Turmalina


Mulheres chegaram a realizar abaixo-assinado em apoio ao médico, que está preso desde sexta-feira (17) acusado de ter cometido “atos libidinosos” durante consultas

Foi com surpresa que boa parte da população turmalinense recebeu a notícia da prisão, ocorrida na última sexta-feira, dia 17 outubro, de um médico ginecologista que atuava no Hospital São Vicente e em um Posto de Saúde da Família (PSF) da cidade. O profissional foi acusado por quatro pacientes de Turmalina e uma de Capelinha de praticar “atos libidinosos” durante o atendimento. Na contramão das denúncias, um grupo formado por dezenas de mulheres defende o médico, alegando que sua conduta nada tem a ver com o que foi relatado nas denúncias, e pede que ele pelo menos responda o processo em liberdade.

Na tarde desta terça-feira, 21, pelo menos 30 mulheres, com idades que variam entre 15 e 60 anos, dispuseram-se a relatar o convívio com o médico, que é apontado por elas como “um profissional dedicado e respeitoso”. Algumas aproximaram-se da reportagem chorando e, na maior parte das vezes, com bebês de colo nascidas sob a assistência do profissional.

Veja o que diz a defesa do médico acusado de abusar de pacientes


O advogado de defesa do médico que foi ACUSADO de abuso, e que não quis ter o nome divulgado, informou que já entrou com um pedido de revogação da prisão ou a substituição por uma das medidas cautelares previstas no código de processo penal, e que que ainda não vai se pronunciar sobre o caso, uma vez que o inquérito só foi fornecido no final da tarde desta segunda-feira (20), portanto ainda não havia tomado conhecimento completo acerca do fato.

Ainda segundo a defesa, algumas notícias veiculadas causaram estranheza, uma vez que o inquérito ainda está em tramitação, mas que o médico sequer figura como indiciado, apenas investigado, e que confia plenamente na inocência do suspeito, haja vista a manifestação e a comoção da população a favor dele.

De acordo com o policial, os abusos aconteciam durante as consultas quando o médico tentava masturbar as pacientes e até mesmo a fazer sexo com elas. “Essas mulheres que identificamos como vítimas são bastante novas, com idades entre 18 e 23 anos, e então acreditamos que ele se aproveitava disso para falar que o que estava fazendo era um procedimento normal de consulta. Em uma das situações ele teria chegado a tirar o órgão sexual para fora e tentou fazer sexo com uma dessas mulheres”, contou o delegado, acrescentando que o ginecologista também não permitia a entrada de enfermeiros e acompanhantes durante as consultas.

Diante dos fatos, o médico deverá responder pelo crime de “Violação sexual mediante fraude”, previsto no artigo 215 do Código Penal Brasileiro. “É importante dizer que outras vítimas vejam e possam procurar a polícia também. A prática que ele fez é criminosa e temos provas testemunhais muito contundentes”, disse o delegado.

Ainda segundo o delegado, em seu primeiro depoimento, o médico se mostrou surpreso com a prisão e negou os abusos. Na cidade, ele trabalhava em uma clínica própria e também em um hospital da cidade. A reportagem procurou a direção da unidade para se pronunciar sobre o assunto, mas ainda não obteve resposta.

Parceria garante instalação do PROCON Municipal em Capelinha

A cidade de Capelinha vai ganhar nos próximos dias uma unidade de Defesa e Proteção dos Direitos do Consumidor, PROCON. O serviço funcionará através de parceria entre a Prefeitura de Capelinha e a Câmara Municipal de Vereadores.

A instalação da Unidade é fruto de Termo de Ajuste de Conduta (TAC) firmado entre o Ministério Público e a Prefeitura Municipal, tendo como base a recomendação do Procon Estadual nº 02/2012, que orienta a criação de PROCONs em cidades onde o órgão ainda não foi instalado.

De acordo com informações da Assistente Jurídica responsável pela instalação da unidade, Dra. Celina Tamara, a unidade do PROCON em Capelinha irá funcionar visando a um trabalho educativo, solucionando queixas por meio de mediação.

Veja o que diz a defesa do médico acusado de abusar de pacientes

Acidente deixa vítima fatal no Bairro São Geraldo em Itamarandiba