terça-feira, 22 de novembro de 2016

A VERDADE SOBRE A COCA COLA DO WHATSAPP


O JORNAL LOCAL desvendou o mistério sobre as fotos que intrigam Capelinha
Usuários de WhatsApp em Capelinha enviaram ao JORNAL LOCAL fotos de uma Coca-Cola com imagens um “ser estranho” dentro de uma garrafa pet de dois litros. As fotos deixam escapar também parte do uniforme de um supermercado da cidade. Em contato com a empresa, o JORNAL LOCAL apurou que tudo não passou DE “brincadeira de um funcionário” e que “as fotos foram feitas fora da empresa”.
A Coca-Cola é condimentada, e tem substâncias que produzem gás. O que se vê nas fotos pode ocorrer com qualquer produto condimentado que fique sem refrigeração ou que tenha a data de validade vencida. Dependendo do manuseio, são criadas bolhas que, agrupadas, formam imagens estranhas e até engraçadas. O JORNAL LOCAL apurou ainda que o refrigerante das fotos já havia sido retirado das prateleiras e descartado. E também que o funcionário do supermercado não imaginou que as fotos teriam tanta repercussão.
Como a imaginação popular não tem limites, leitores chegaram a dizer que o dono do supermercado havia guardado o “bicho” em um cofre. Porém, a Coca Cola com imagem estranha é apenas uma daquelas postagens curiosas que pipocam na Internet.
Há quem diga que o “bicho” tem cara de sapo, e outros apontam para uma cara de cobra. E você, caro leitor, o que acha?
 (Rosa Santos)

sábado, 19 de novembro de 2016

Escrivão da Polícia Civil pode ter sido morto por colega de trabalho

Um laudo pericial, que ainda não foi divulgado oficialmente, aponta que o escrivão da Polícia Civil Allan Ferreira Couto, de 30 anos, natural de Araçuaí, e lotado na Delegacia de Capelinha, no Vale do Jequitinhonha, foi morto por um colega de trabalho, durante uma operação em que houve troca de tiros entre policiais e bandidos, no dia 6 de outubro, em Caçaratiba, distrito de Turmalina, na mesma região.

Ainda segundo familiares de Allan Couto, o policial confessou ser o responsável pelo disparo que atingiu a cabeça dele, durante a reconstituição da operação.
A informação foi divulgada na sexta-feira (18) por uma irmã do escrivão, através do Facebook. Ela não foi localizada para falar sobre o caso.
A única irmã do escrivão, Aline Ferreira Couto, postou em seu perfil no Facebook, na tarde desta sexta-feira (18/11/2016) que o investigador Aldson Veloso Machado, lotado em Capelinha, “atirou na cabeça de Allan, seu único, querido e amado irmão”.

A avó materna do escrivão disse, em Araçuaí, que os dois eram amigos e que haviam participado de um churrasco, dias antes do crime. Ela afirmou ainda que desconhece desavença do neto com colegas. “Ele era querido por todos”, destacou ela, acreditando que o caso pode ter sido uma fatalidade.
Ela disse que o neto dirigia a viatura, em que também estava o investigador Veloso Machado, e que no momento do tiroteio, Allan chegou a abaixar a cabeça e acabou atingido.
“É o que me informaram. A família ainda está muito abalada e a irmã dele (Aline) é que está resolvendo tudo. O pai do Allan está na fazenda, em Araçuaí, e a mãe dele, com a irmã, no Vale do Aço”, informou a avó do escrivão.
Ainda segundo ela, o policial responsável pelo disparo, esteve presente no sepultamento do colega em Araçuaí.
O delegado de Capelinha, Thiago Rocha Ferreira, e o policial Aldson Veloso não foram localizados para falar sobre o assunto. A Assessoria de Comunicação da Polícia Civil ainda não se pronunciou.

Entenda
A Polícia Civil chegou a prender em Araçuaí quatro suspeitos de terem trocado tiros com os policiais, na operação que resultou na morte de Allan Couto.
Segundo o Delegado Thiago Rocha, eles eram cinco e considerados foragidos da penitenciária de Teófilo Otoni.
No dia 11 de outubro a PC prendeu em Araçuaí, um rapaz, de 24 anos, e no dia 26 outro, de 31 anos. Já em novembro, outro rapaz, de 23 anos, também foi preso, quando tentava fugir para a cidade de Ribeirão Preto, em um ônibus de linha convencional.
A Polícia Civil afirmou que havia provas do envolvimento dos suspeitos na morte do escrivão.
Três deles são de Araçuaí e outro, identificado como Álvaro Diego Sousa Mendes, é de Padre Paraíso e foi preso na última quinta-feira (17) em Araçuaí. O último dos envolvidos ainda não foi identificado e está foragido.
Allan Couto foi baleado durante operação policial que apurava um roubo que aconteceu na zona rural de Araçuaí. Ele, e outro policial militar, receberam informações de que os suspeitos estariam em Turmalina. Quando faziam a abordagem, no distrito de Caçaratiba, houve uma troca de tiros e o escrivão foi atingido na cabeça. Os bandidos estavam em dois carros roubados, que foram abandonados após o tiroteio. Eles conseguiram fugir.
Allan Couto foi socorrido e levado em coma, inicialmente, para o hospital de Turmalina. Devido a gravidade do ferimento, o policial foi transferido, de avião, no mesmo dia para o hospital João XXIII em Belo Horizonte, onde faleceu, dia 12 de outubro, após passar por cirurgias.
Ele foi sepultado em Araçuaí, onde moram seus pais e familiares. Allan Couto era casado e pai de uma menina de 1 ano e 6 meses.
(Fonte: Gazeta de Araçuaí) Aconteceu no Vale

Alunos do SENAI Turmalina promovem evento sobre moda e literatura


Produções literárias e fashionistas dos estudantes serão expostas em evento único

A arte da costura unida à beleza das letras em prosa e verso. Os alunos do Centro de Formação Profissional SENAI Turmalina apresentam criações literárias e fashionistas durante o “Moda com Poesia”. O evento cultural terá um recital de prosas e poesias e um desfile com coleção de roupas da temporada verão 2017. O projeto ocorrerá na sede da unidade, no próximo dia 24/11, às 19h30.

Os textos selecionados para o recital do evento foram escritos pelos estudantes das turmas de Instalação Elétrica Industrial, Marcenaria e Manutenção de Máquinas Florestais. A iniciativa foi inspirada no Prêmio SESI de Literatura, projeto que promove o incentivo à leitura e a produção literária. Os jovens escritores irão declamar versos baseados em sentimentos que pautam a vida de qualquer pessoa: amor, felicidade, sonhos, entre outros.


Já a fabricação das roupas para o desfile ficou por conta das aprendizes do curso Confecção Industrial do Vestuário, que se inspiraram no segmento casual para o próximo verão. As peças costuradas pelas estudantes trarão a vivacidade da estação em estampas florais, saias, shorts e blazers.


Evento: Moda com Poesia

Data: 24/11

Horário: 19h30

Local: Centro de Formação Profissional SENAI Turmalina (Avenida Eucalipto, nº 1000)

Informações: (38) 3527-1422

terça-feira, 8 de novembro de 2016

SUSPEITO DE FRAUDAR ENEM EM CAPELINHA NÃO FEZ PROVA NO DOMINGO



Polícia Militar foi acionada pela Polícia Federal, que passou o nome e a sala de prova do investigado, mas ele não apareceu

Conforme matéria exibida ontem no Fantástico (Rede Globo), Capelinha está na rota das investigações da Polícia Federal (PF), que deflagrou em Montes Claros e em outros municípios do país a Operação Embuste, contra fraudes no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). A cidade virou alvo da operação por causa de um homem que se inscreveu para fazer as provas em Capelinha, ele é um dos suspeitos de participação no esquema. Conforme apurou a reportagem do JORNAL LOCAL, o suspeito faria a prova na Escola Estadual Professor Antônio Lago.

Porém, a abordagem ao suspeito, que aconteceria neste domingo, 6 de novembro, não ocorreu porque o homem não compareceu ao local da prova. Como as provas do Enem são lacradas, ainda não foi informado se o suspeito chegou a fazer prova no sábado.

Segundo o tenente Ramon Pires, da Polícia Militar de Capelinha, a Polícia Federal acionou a PM e informou o nome e a sala onde o suspeito faria a prova. “Fomos informados de que teria esse alvo em Capelinha, nos posicionamos para abordá-lo, mas ele não foi fazer a prova. As únicas informações passadas foram o nome e a sala do suspeito, que serão mantidos em sigilo para não atrapalhar as investigações. Porém, toda a investigação é da Polícia Federal, nós da Polícia Militar de Capelinha apenas realizamos os procedimentos que nos foram solicitados”, informa o tenente Ramon.

As investigações foram iniciadas 15 dias antes das provas e continuam em todo o Brasil. A Polícia Federal descobriu que no primeiro dia do Enem 2016 a quadrilha transmitiria respostas das provas para Sete Lagoas, Capelinha e Belo Horizonte (em Minas Gerais), Vitória da Conquista (na Bahia) e Caucaia (no Ceará). O candidato Antônio Diego de Lima Rodrigues foi preso no Ceará, com um equipamento usado para receber o gabarito. E o ex-estudante de medicina Rodrigo Ferreira Viana é apontado pela Polícia Federal como líder da quadrilha, que além do Enem fraudou outros vestibulares. Ele e outras dez pessoas foram presas durante a Operação Embuste.
A quadrilha utilizava equipamento sofisticado e, de acordo com o delegado da PF, Marcelo Freitas, cobrava entre R$ 150 e R$ 180 mil reais, a depender da universidade que o candidato pretendia ingressar.

SOFIA MACEDO
Após a exibição da matéria no Fantástico, onde foi exibida a foto da estudante Sofia Macedo, que é de Carbonita e mora em Belo Horizonte, muitos moradores de Capelinha imaginaram que Sofia seria a pessoa investigada em Capelinha, já que ela costuma frequentar a cidade. Porém, conforme a Polícia Militar de Capelinha, a pessoa que seria abordada na cidade é um homem.

Sofia Macedo está sendo hostilizada em seu perfil no Facebook por milhares de pessoas. A ela é atribuída uma voz, gravada pela Polícia Federal, que faz parte de uma conversa com um dos suspeitos da fraude. No esquema, o fraudador pediu à estudante para tossir, uma ou duas vezes, era um código para confirmar se ela estava ouvindo as respostas da prova. A reportagem do JORNAL LOCAL entrou em contato com Sofia, via Facebook, mas até o momento não obteve resposta.

Jornal Local

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Estudante de Carbonita é flagrada pela PF testando sistema de quadrilha que fraudava o Enem


A estudante Sofia Azevedo Macedo, filha de um comerciante de Carbonita (Vale do Jequitinhonha), é suspeita de contratar uma quadrilha especializada em fraudes no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2016 e em outros concursos realizados no País. Um integrante da quadrilha, identificado como Jonathan Galdino dos Santos, foi registrado pela Polícia Federal (PF) testando o sistema com a candidata carbonitense. Ela estaria fazendo a prova em Capelinha (MG).
O delegado Marcelo Freitas explicou que, de um hotel em Montes Claros (MG), a quadrilha enviava o gabarito para os candidatos, que usavam um microponto colocado no ouvido e uma central telefônica acoplada no peito ou braço. Ambos podem ser apontados com o uso de detector de metais, mas a PF acredita que o equipamento não esteja sendo usado de maneira eficiente.
“Pela primeira vez constatamos o retorno de áudio por parte do candidato. A maneira que ele usava para demonstrar ao interlocutor que compreendia ou não o gabarito era por intermédio de tosse. Se tossia uma vez ele havia compreendido, se tossia duas vezes, o interlocutor repetia o gabarito”, disse Freitas.

Fraude no Enem 2016


O ex-estudante de medicina Rodrigo Ferreira Viana é apontado pela Polícia Federal (PF) como líder de uma quadrilha especializada em fraudes contra o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e outros vestibulares. Ele e outras dez pessoas foram presas durante a Operação Embuste, deflagrada na tarde de hoje (06/11/2016) em Montes Claros e em outros municípios do País.
A quadrilha utilizava equipamento sofisticado e, de acordo com o delegado da PF Marcelo Freitas, cobrava entre R$ 150 e R$ 180 mil reais, a depender da universidade que o candidato pretendia ingressar.
As investigações iniciaram há 15 dias, quando uma candidata inscrita no Enem desabafou com um padre e foi aconselhada a denunciar a organização criminosa. Após a denúncia, os integrantes da quadrilha foram monitorados de perto por agentes federais. O líder da quadrilha, que cursou medicina em Ipatinga (MG), foi registrado em vídeo recebendo dinheiro de um comparsa.
De acordo com a PF, Rodrigo Ferreira contratava alunos e professores para fazerem as provas rapidamente e repassar as respostas, que posteriormente os gabaritos eram divulgados aos estudantes contratantes da fraude através de ponto eletrônico. Um dos pilotos era o estudante de medicina Arnon Kelson da Silva e Santos, que foi preso em 2012, quando confessou ter fraudado concursos naquele ano e em 2006.
A Polícia Federal descobriu que no primeiro dia do Enem 2016 a quadrilha transmitiu respostas das provas para Sete Lagoas, Capelinha e Belo Horizonte (em Minas Gerais), Vitória da Conquista (na Bahia) e Caucaia (no Ceará). O candidato Antônio Diego de Lima Rodrigues foi preso hoje, no Ceará, com um equipamento usado para receber o gabarito.

Operações da PF

Em pleno final de semana de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a Polícia Federal deflagrou duas operações para reprimir fraudes no exame: a Operação Jogo Limpo, nos estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba, Tocantins, Amapá e Pará e a Operação Embuste, em Minas Gerais.
A Operação Embuste, deflagrada na tarde de hoje (06/11/2016), consiste no cumprimento simultâneo de 28 mandados judiciais, sendo quatro de prisão temporária, quatro de condução coercitiva, 15 de busca e apreensão e cinco mandados de sequestro de bens, todos expedidos pela Justiça Federal de Montes Claros (MG). A investigação foi feita com o auxílio do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e do Ministério Público Federal.
De acordo com a PF, os envolvidos nessas negociações criminosas já teriam, neste ano de 2016, fraudado ao menos dois processos seletivos: o vestibular realizado na cidade de Mineiros (GO), ocorrido nos dias 15 e 16 de outubro, e o vestibular destinado à seleção para o curso de medicina, realizado na cidade de Vitória da Conquista (BA), nos dias 22 e 23 de outubro.
O próximo passo do grupo criminoso seria fraudar o Enem. No decorrer das investigações, a PF conseguiu identificar o repasse de gabaritos, por celular, para candidatos situados em diversas partes do país.
Os presos poderão responder, na medida de suas participações, pelos crimes contra a fé pública, o patrimônio, a paz pública, dentre outros delitos. Se condenados, as penas máximas aplicadas aos crimes ultrapassam 20 anos.
Já a Operação Jogo Limpo tem como alvo cumprir 22 mandados de busca e apreensão de pessoas suspeitas de terem cometido fraude no Enem e que fariam a prova novamente este ano. Segundo a PF, foram identificadas 22 pessoas que teriam apresentado respostas suspeitas de fraude, a partir da análise de gabaritos apresentados em anos anteriores. A identificação foi feita em conjunto com o Inep.
Confirmada a fraude, os investigados poderão responder pelos crimes de estelionato, cuja pena é reclusão de um a cinco anos e multa; uso de documento falso; fraude em certame de interesse público, cuja pena é reclusão de um a quatro anos e multa; e crime por integrar organização criminosa, reclusão de 3 a 8 anos e multa.

Repercussão no Fantástico

Uma reportagem especial do programa Fantástico, exibida na noite deste domingo (6) pela TV Globo, mostra detalhes da atuação da quadrilha. Clique aqui e confira ou assista no player abaixo.

Aconteceu no Vale

Corpo carbonizado é encontrado dentro de carro zona rural de Malacacheta


Um corpo carbonizado foi encontrado no interior de um veículo na manhã deste domingo, 6 de novembro de 2016, no Córrego dos Almeidas, zona rural de Malacacheta, no Vale do Mucuri. De acordo com informações da Polícia Militar (PM), a vítima residia no distrito de Junco de Minas e foi identificada como Jadir Machado Rodrigues Figueiredo, de 33 anos.
Um irmão de Jadir relatou à PM que ele saiu de Junco de Minas, por volta das 20h de sábado (5), e seguia em direção ao Córrego dos Almeidas, onde se encontraria com alguém após receber uma ligação. O automóvel Fiat Palio, placa JNU-8900, que era conduzido pela vítima, foi encontrado totalmente queimado.
Dentro do carro estava o corpo de Jadir Machado, sentado no banco do passageiro e com a cabeça apoiada no assento do motorista. A suspeita é que ele tenha sido assassinado e posteriormente teve o corpo e veículo incendiados.
Ainda segundo a PM, populares encontraram uma marca de sangue, próximo a uma porteira (local onde a vítima possivelmente foi golpeada), a cerca de 200 metros de distância do local onde o carro estava. Um boné de pano foi reconhecido por um irmão da vítima como sendo de sua propriedade.
A Perícia Técnica da Polícia Civil foi acionada e após os trabalhos de praxe, o corpo foi removido ao Instituto Médico Legal (IML) em Teófilo Otoni. Nenhum suspeito foi preso até o momento. O crime será investigado pela Polícia Civil.
Aconteceu no Vale

sábado, 5 de novembro de 2016

TRANSPORTE ESCOLAR SERÁ RETOMADO NESTA SEGUNDA-FEIRA EM CAPELINHA


Juíza e promotor mediaram acordo entre Secretaria de Educação e motoristas

De acordo com a secretária municipal de Educação de Capelinha, Nicinha Ribeiro, a maioria dos motoristas de transporte escolar do município, que haviam paralisado as funções por falta de pagamento, concordaram em retornar ao trabalho nesta segunda-feira, 7 de novembro, mesmo ainda não tendo recebido os salários. Foi realizado na tarde desta sexta-feira, 4 de novembro, um acordo entre o município e os motoristas (e donos de ônibus), através do intermédio da juíza da Comarca, Natália Discacciati Rezende, e do promotor de Justiça Cristiano Moreira Silva.


Informa Nicinha: “Com isso, o ano letivo não ficará comprometido. O município e a Secretaria de Educação estão empenhados nesta questão há meses, porém o repasse para pagamento do transporte escolar vem do Governo do Estado. Estamos sempre em contato com a Secretaria de Estado de Educação, e também enviamos mais de 50 e-mails para deputados que atuam na região pedindo auxílio para a liberação do pagamento”.

A secretária informou ainda que, segundo informações da Secretaria de Estado de Educação, o atraso nos repasses para o transporte escolar tem acontecido em vários dos 853 municípios de Minas, mas o Governo do Estado informou que busca meios para sanar esta questão.

Sobre a paralisação dos motoristas, que gerou manifestações estudantis ontem no Centro de Capelinha, Nicinha explicou: “Os donos de ônibus se preocuparam, com medo de ficar sem receber devido à passagem de um governo para o outro. Mas a juíza e o promotor conversaram com eles, nós expusemos o problema relacionado ao Governo do Estado e eles foram informados que não ficarão sem receber. E, assim, conseguimos convencê-los a voltar ao trabalho, para que nossos estudantes concluam o ano letivo”, salientou a secretária de Educação de Capelinha.

* Na foto, estudantes em protesto ontem, dia 3 de novembro, na porta do Fórum, por causa da paralisação dos motoristas.

Jornal Local

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Familiares e amigos procuram notícias de dono de bar que desapareceu em Capelinha


Familiares e amigos estão preocupados sem noticias de Adão Martins, que não é visto deste a noite de ontem (02/11) na cidade de Capelinha, Vale do Jequitinhonha.
Amigos vem compartilhando nas redes sociais fotos e pedindo informações sobre o paradeiro de Adão que é também conhecido por Adãozinho do bar ou também por Dãozinho da transcap.

Informações premiliminares dão conta que seu paradeiro possa ser BH, mas ainda não há confirmação dos fatos.

Informações poderão ser enviadas para nosso Whatsapp através do numero 33 9 9949-2142 .

Minas Hoje

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Espetáculo “Memórias de um quintal” será apresentado nesta sexta (04/11) em Capelinha


A Insensata companhia de teatro, com sede em Belo Horizonte, trará pela primeira vez a Capelinha a apresentação do Espetáculo “Memórias de um quintal”, dentro do Projeto Trilha Cultural / BDMG CULTURAL.

O espetáculo é baseado na obra “O Matador”, texto de Wander Piroli que se mistura com as memórias dos próprios atores, que narram e comentam seus apelidos e brincadeiras de infância.

“Memórias de um quintal” é livre para todos os públicos e será apresentado as 19 horas, na Praça do Povo de Capelinha, com entrada gratuita.

Araçuaí, Coronel Murta e Diamantina também receberam a apresentação do espetáculo.


“É recorrente percebermos uma certa repetição nas produções de espetáculos infantis, indo em sua maioria, para um caminho muito infantilizado, buscando por exemplo, sempre um final feliz. Para se pensar e trabalhar o teatro infantil, precisamos estar sempre ligados a finais felizes e as fábulas com início, meio e fim? Aos príncipes e princesas, são esses os únicos pontos de partida para uma narrativa cênica destinada a tal público? Essas eram as perguntas iniciais. Partindo desse pressuposto, começamos a nos reunir em grupo e compartilhar diversas obras escritas para o público infantil. Neste momento pudemos perceber que, em algumas obras literárias, existiam abordagens diferenciadas”. Diz, Keu Freire, ator e produtor da Insensata Cia de Teatro.


Sinopse
Em meio a músicas e brincadeiras populares, “Memórias de um Quintal” traz à cena o duelo entre uma criança e um pardal. Manguinha, sonhava em acertar o pássaro com o seu bodoque, mas sua péssima pontaria fazia dele motivo de chacota. Determinado, depois de muito treinar, finalmente consegue acertar um pardal! Mas o que sentiu nesse momento não foi exatamente a alegria que sempre esperou. A dramaturgia é livremente inspirada na obra “O Matador”, texto de Wander Piroli que se mistura com as memórias dos próprios atores, que narram e comentam seus apelidos e brincadeiras de infância.

Fonte: RegisCap1
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...