domingo, 23 de janeiro de 2011

Conheça a menor Cidade de Minas Gerais: 815 habitantes


                                                     
                                           
Estudante de agronomia, Samuel Ricardo ajuda o pai na fazenda. A peque agropecuária é um dos poucos negócios da região


A acolhedora cidade em que mora dona Cecília Silva, de 48 anos, foi abençoada pela natureza: as altas montanhas garantem um clima agradável a Serra da Saudade, município com a menor população do estado – 815 habitantes, segundo o censo 2010. Por sua vez, a economia do pacato lugarejo, no Centro-Oeste de Minas, a 275 quilômetros de Belo Horizonte, clama por socorro. Tanto que a simpática senhora precisa ir a outras cidades para abastecer o carro e sacar dinheiro, pois lá não há posto de combustível e agência bancária. Da mesma forma, farmácia e padaria. E o único posto dos Correios fecha para o almoço. O comércio se resume a duas mercearias, uma loja de ração, outra de vestuário, à modesta pensão de dona Lia, ao posto dos Correios e nove bares. Não há indústria e falta emprego para os jovens.


A economia local, cujo Produto Interno Bruto (PIB) per capita é de R$ 8,5 mil , segundo dados de 2006 da Associação Mineira de Municípios (AMM), é movida pela pecuária, onde as 190 propriedades rurais empregam cerca de 200 pessoas, e pela prefeitura, que garante o ganha pão de outros 170 habitantes. O Estado de Minas foi a Serra da Saudade conhecer de perto as particularidades da economia do único município de Minas que ainda não atingiu 1.000 habitantes. E dificilmente a marca será alcançada tão cedo, pois o número cai ano após ano, reflexo da migração pela busca de emprego. Para se ter ideia, o recuo foi de 6,7% na década passada, de 873 pessoas, em 2000, para 815 em 2010.

O território do lugarejo é de 347 quilômetros quadrados, superior ao de BH (331 quilômetros quadrados), mas as estatísticas referentes à população e à economia mostram que o município se parece mais com um bairro. A maioria dos moradores recebe um salário mínimo (R$ 540). “Tentamos fazer o melhor”, garante Marcelo Machado, procurador-geral e filho da prefeita, Neuza Maria Ribeiro (PDT). A folha da prefeitura é custeada pelo Fundo de Participação do Município (FPM), que rende a Serra da Saudade, em média, R$ 400 mil por mês. “Não há como empregar todos”, diz.


Seu Antônio Fidélis, de 60, deu sorte: sua função é consertar as ferramentas do almoxarifado. Mas ele sente na pele a falta de oportunidade na terra-natal: “Minha esposa e os três filhos se mudaram para Dores do Indaiá, onde trabalham. Restei só. Emprego aqui é difícil, mas quem consegue não deixa o município, lugar bom de se morar”. Parte do pouco que ganha deixa na mercearia Faustino, o maior ponto comercial de lá. O local conta com quatro empregados e muitos clientes ainda usam a tradicional caderneta de papel. “As compras a prazo respondem por 80%. O pessoal é bom pagador. É um lado positivo daqui. O negativo é a falta de empregos”, diz Antônio Faustino, de 37.


Ele lamenta que muitos habitantes deixaram a terrinha atrás de renda. Vários deles, porém, aproveitam a feira de comidas e bebidas, que ocorre uma vez por mês, para rever familiares. O evento, na prática, incentiva os moradores a gastarem o salário na comunidade. “Sempre ocorre depois do pagamento”, diz a conselheira tutelar Márcia Campos, de 45, que costuma vender carne com mandioca para reforçar o orçamento. Otimista, ela torce para que a feira atraia forasteiros.

Maria José Ricardo, de 80, dona da única pensão do lugar, poderia ser beneficiada com a vinda dos visitantes. Sua modesta hospedagem tem 17 leitos, mas a maioria fica às moscas. “Recebo, em média, seis clientes por mês. A diária, de R$ 13, cai para R$ 10 se a pessoa ficar mais dias”, diz, reclamando o quanto é difícil ir a outro município para adquirir produtos ou serviços que não são ofertados no lugarejo, como o posto de combustível. O mais perto está em Estrela do Indaiá, a 15 km.



Dona Cecília, que trabalha na única loja de roupas da cidade, também sofre quando precisa ir ao Banco do Brasil depositar o dinheiro das vendas do único comércio de vestuário da cidade: “Tenho que ir a Dores do Indaiá, a 25 km, porque aqui não tem agência bancária”. A mercearia que funciona ao lado, por sua vez, oferece aos moradores um caixa eletrônico da Caixa Econômica Federal (CEF). Já o posto dos Correios pode ser usado para saques por correntistas do Bradesco.

(Fonte: Jornal Estado de Minas)

18 comentários:

Alexandre disse...

É MUITO POCO ABITANTE VEI ME FALA QUANTO GENTE NASCE OU MORRE POR ANO?

Anônimo disse...

A CIDADE E PEQUENA ISSO NAO ME SURPREENDE O QUE ME CHAMA ATENÇAO E ESSE BURRO QUE NAO SABE ESCREVER K

Anônimo disse...

besta quadrada que não sabe nem escrever, vai toma o mijo do bode rapá(pra não dizer outra coisa) abitante sem H??? burro pensa que é alfabetizado ahahahahahahahah deve ser bahiano pensando que é mineiro kkkkkkkkkkkkkkkkkk b abaca idiota

Anônimo disse...

Eu gosto muito dos lugares de Minas gerais,apesar de ser carioca e adorar o Rio de Janeiro pretendo um dia morar nas Minas gerais.Quanto vale uma casa neste adorável lugar?
Adoro o povo mineiro!
Abraços carinhosos a esse povo adorável.

Anônimo disse...

Nossa! sou do Rio e fiquei encantada, isso não é uma cidade,é o Céu, é uma pena o governo não apresentar propostas ou mesmo uma Cooperativa para arrecadação, alguma coisa esse povo sabe fazer, artesanato,sei lá. também gostaria de saber quanto vale uma casa nesse paraíso?

Anônimo disse...

Manda o Srº anônimo voltar para escola: Baiano se escreve com I e não H. Ele identificou o cidadão como se nascesse na Bahia.
http://clubecaiubi.ning.com http://clubecaiubi.ning.com/profiles/blogs/o-bahiano-e-assim#ixzz2D3WHjFtP

BAIANO (bai-an-no) é aquele natural das ilhas da Baía de Todos os Santos, porém, quem nasceu nas demais localidades ou cidades do estado da Bahia também denomina-se baiano. Mas, BAHIANO (ba-hi-an-no) é todo brasileiro que não fala nem escreve o Português Padrão. (seguindo as regras de acentuação).

Anônimo disse...

Manda o Srº anônimo voltar para escola: Baiano se escreve com I e não H. Ele identificou o cidadão como se nascesse na Bahia.
http://clubecaiubi.ning.com http://clubecaiubi.ning.com/profiles/blogs/o-bahiano-e-assim#ixzz2D3WHjFtP

BAIANO (bai-an-no) é aquele natural das ilhas da Baía de Todos os Santos, porém, quem nasceu nas demais localidades ou cidades do estado da Bahia também denomina-se baiano. Mas, BAHIANO (ba-hi-an-no) é todo brasileiro que não fala nem escreve o Português Padrão. (seguindo as regras de acentuação).

Anônimo disse...

sera´que tem sinal de celular e internet nesse local?Gostei do local seria bom para passar pelo menos uma semana . tem pelo menos um posto de saúde?

Anônimo disse...

Assistindo ao Profissão Reporter tomei conhecimento de bela cidadezinha. Gostei muito, sou aposentado e sempre sonhei morar em um lugar assim, já vivi em grandes metrópolis, como: Boston, USA- Londres,Inglaterra- Dublin,Irlanda- Lisboa,Portugal, e no Brasil, São Paulo, Curitiba, Teresina entre outras. Hoje vivo em Pres.Prudente-SP.Irei conhecer brevemente.

Anônimo disse...

Assistindo ao Profissão Reporter tomei conhecimento de bela cidadezinha. Gostei muito, sou aposentado e sempre sonhei morar em um lugar assim, já vivi em grandes metrópolis, como: Boston, USA- Londres,Inglaterra- Dublin,Irlanda- Lisboa,Portugal, e no Brasil, São Paulo, Curitiba, Teresina entre outras. Hoje vivo em Pres.Prudente-SP.Irei conhecer brevemente.

Marcus Alexandre ( alex.tp@ig.com.br ) disse...

Amei esta cidade sera´que tem sinal de celular e internet ? tem pelo menos um posto de saúde? isso não é uma cidade,é o Céu, é uma pena o governo não apresentar propostas ou mesmo uma Cooperativa para arrecadação de verbas aumentar , alguma coisa esse povo sabe fazer, artesanato,sei lá. também gostaria de saber quanto vale uma casa nesse paraíso? Gostaria muito de ter contato com algum morador daí .Meu nome é Marcus e moro no Rio de Janeiro meu email : alex.tp@ig.com.br ficaria muito grato por alguma forma de contato e com isso uma possível visita a bela cidade .e quem sabe bons negócios .

Anônimo disse...

oi galera moro fora no canada ha 10 anos,apesar da ficiculdade do lugar ,ha fauta de progresso,e um lugar em paz sem violencia,mas pode crescer.Eu realmente gostaria de ir morar la.....

ONG. Rio Gospel disse...

TEMOS ALGUNS PROJETOS DE RENDA E EMPREGO QUE PODERIA DAR CERTO NESTE MUNICIPIO, POR EXEMPLO. NOSSA ESCOLA DE CORTE E COSTURA PARA POSTERIOR IMPLANTAÇÃO DE COOPERATIVA DE COSTUREIRAS.

Anônimo disse...

Conheci a serra saudade ainda criança e não entedia nada.Amei ter retornado lá ontem, com meu filho e minha mãe que nasceu naquela maravilha.Faz vinte anos que estive lá a última vez.Comentários à parte,é ruim saber que o progresso estacionou por lá, mas já pensaram nas consequências inevitáveis do mesmo?




Anônimo disse...








juvenal almeida disse...

A Cidade não tem farmácia, provavelmente não tenha nem um tipo de assistência médica, em virtude da tranquilidade, acham q as pessoas não precisam destes tipos de serviço. mas, vai que,...,também não agência bancária. Vamos valorizar a tranquilidade,porém,tudo têm limites. As pessoas necessitam de assistência do Estado. Façam alguma coisa pra melhorar esta linda Cidade.

milton disse...

fiquei sabendo pela reportagem sob a guantidade de abitante que a nesta cidade vocês estão de paraben pela cidade




Anônimo disse...

NÃO CONSIGO ENTENDER ESSE PESSOAL, QUE DIZEM UMA COISA E POR DENTRO SENTEM OUTRA, DIZEM QUE O LUGAR É MARAVILHOSO, TRANQUILO, ETC..., DIZEM QUE GOSTARIAM DE VIVER EM LOCAL ASSIM, MAS A PRIMEIRA PREOCUPAÇÃO É SABER SE TEM INTERNET E CELULAR, VAI SER HIPÓCRITA ASSIM LÁ NO MEIO DO INFERNO, IMAGINE QUE LÁ VIVEM PESSOAS FELIZES E COMPLETAS, NAO ESTÃO NEM VENDO SE TEM CELULAR,INTERNET ETC, VAI SE CONSERTAR, PROCURA UM MÉDICO