sexta-feira, 8 de junho de 2012

Cruzeiro vira em seis minutos, quebra tabu no Engenhão e finda jejum de 50 dias

O JOGADOR MATEUS aproveita desfalques e desempenha bem seu papel no Cruzeiro 
Foram 70 minutos de insatisfação e seis de euforia. Nesta quinta-feira, o Botafogo contou com um gol contra de Amaral e outro de Herrera para abrir 2 a 0, mas uma reação impressionante levou o Cruzeiro à primeira vitória no Brasileirão. 


Anselmo Ramon, Everton e Wellington Paulista, em cobrança de pênalti, marcaram os gols do triunfo por 3 a 2. 
A virada deu ao Cruzeiro sua primeira vitória no Engenhão. Até esta quinta-feira, haviam sido sete jogos celestes no estádio, com cinco derrotas e dois empates.

O primeiro triunfo sob o comando de Celso Roth encerrou 50 dias de jejum. A equipe não vencia desde 18 de abril, quando bateu a Chapecoense, por 4 a 1, em jogo pela Copa do Brasil. Desde então, eram quatro derrotas, todas ainda com Vágner Mancini como treinador, e dois empates sem gols com Roth, contra Atlético-GO e Náutico.

Com cinco pontos no Brasileirão, o Cruzeiro encerrou a terceira rodada na oitava colocação. Já o Botafogo, que perdeu os 100% de aproveitamento, permaneceu com seis pontos e caiu para o quarto lugar.

No domingo, o Cruzeiro tentará emplacar a segunda vitória diante do Sport, em Varginha. O Botafogo enfrentará o Náutico, no Recife.

Gol contra e ataque ineficiente


Com 100% de aproveitamento nas duas rodadas iniciais do Brasileirão, o Botafogo buscou a terceira vitória desde o início de jogo. Aos 7 minutos, Vitor Júnior recebeu pela ponta direita, cortou para o meio e chutou com força. A bola parou na rede pelo lado de fora, assustando o goleiro Fábio.

No minuto seguinte, o capitão cruzeirense evitou que o Botafogo abrisse o placar. Em tabela na entrada da área, Herrera recebeu livre e finalizou, mas Fábio salvou a meta celeste.

Wagner Meier / Fotoarena/Folhapress
Botafoguenses saíram à frente
Enquanto os atacantes botafoguenses pecavam nas finalizações, os donos da casa contaram com uma ajuda celeste para balançar as redes. Aos 20 minutos, Vitor Júnior cobrou escanteio da esquerda e Amaral cabeceou para o fundo da própria meta. O Botafogo esteve próximo de ampliar ainda na etapa inicial. Lucas recebeu na área e cruzou para Herrera, mas o atacante argentino não alcançou.

Com ataque inofensivo, o Cruzeiro ficou distante de assustar o goleiro Milton Raphael no primeiro tempo. Em uma rara tentativa, Wellington Paulista arriscou de longe, mas o chute fraco foi facilmente defendido pelo arqueiro alvinegro. Montillo também tentou em cruzamento da direita, porém sem desvio de atacantes celestes.

Reação impressionante

Para a etapa final, Celso Roth alterou a equipe para formação mais ofensiva. O atacante Fabinho fez sua estreia ao substituir o meia Souza. Aos 4 minutos, o estreante chutou forte de fora área e Milton Raphael caiu no canto esquerdo para defender.

Mais presente no campo de ataque, o Cruzeiro pediu pênalti, não marcado pelo árbitro Fabrício Neves Corrêa. Aos 20 minutos, Fabinho foi ao chão em disputa com Márcio Azevedo, mas nenhuma infração foi assinalada.

Sem sucesso nas investidas do ataque, o Cruzeiro acabou novamente vazado. Renato roubou bola no meio-campo, Vitor Júnior deu passe preciso para Herrera, que invadiu a área e bateu na saída de Fábio.

O gol, entretanto, não abalou o time celeste. Fabinho esteve próximo de marcar pela primeira vez com a camisa estrelada, mas acertou a trave. Na sequência, Anselmo Ramon, que substituiu Tinga, perdeu chance frente à frente com o goleiro botafoguense.

A pressão cruzeirense surtiu efeito. Aos 28 minutos, Mateus chutou depois de escanteio, Anselmo Ramon desviou de cabeça e marcou o primeiro gol do Cruzeiro no Brasileirão. O empate veio três minutos depois. Anselmo cruzou da ponta direita e Everton, que havia substituído Marcelo Oliveira, testou para o fundo do gol.

A impressionante reação do Cruzeiro gerou a virada aos 34 minutos. Montillo recebeu na área, tirou do goleiro, mas foi derrubado por Milton Raphael. Wellington Paulista partiu para a cobrança e fez 3 a 2.

Botafogo 2 x 3 Cruzeiro

Botafogo

Milton Raphael, Lucas, Brinner, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Jadson, Renato, Maicosuel, Vitor Júnior e Andrezinho (Elkeson) ; Herrera 
Técnico: Oswaldo de Oliveira

Cruzeiro

Fábio, Diego Renan, Leo, Mateus e Marcelo Oliveira (Everton); Amaral, Charles, Tinga (Anselmo Ramon) e Souza (Fabinho); Montillo e Wellington Paulista
Técnico: Celso Roth

Motivo:
 3ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Engenhão, no Rio de Janeiro
Data: 7 de junho (quinta-feira)
Gols: Amaral (contra), aos 21' do 1º tempo; Herrera, aos 24', Anselmo Ramon, aos 28', Everton, aos 30', e Wellington Paulista, aos 34' do 2º tempo
Árbitro: Fabrício Neves Corrêa (RS)
Assistentes: Tatiana Jacques de Freitas (RS) e José Eduardo Calza (RS)
Cartão amarelo: Fábio Ferreira, Jadson e Milton Raphael (Botafogo); Montillo, Charles, Diego Renan e Mateus (Cruzeiro)

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...