quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Liberdade Colorida – Eleições 2012


Por Lourival Brito

Olá! Hoje pretendo quebrar o protocolo que adotei para a nossa coluna, resolvi escrever na 1ª pessoa do singular.

No período do pleito eleitoral optei por não manifestar publicamente a respeito do meu voto, a fim de aferir assuntos para os nossos textos. Naquela oportunidade percebi que algumas pessoas olhavam para mim com certa curiosidade, afinal eu era uma incógnita eleitoral, situação que me inspirou um teste. 
Teste este que consistiu em me vestir com camisas com as cores correspondentes às coligações da minha cidade. Em dias distintos, assim o fiz.

“As cores podem influenciar diferentes climas e estimular as mais variadas sensações nas pessoas e no ambiente. Casar o tom certo da casa, do ambiente, da roupa com a do momento de vida requer certo conhecimento do espectro solar, que se divide em dois eixos principais: do vermelho até o verde-amarelado, as tonalidades são quentes. Do azul até o violeta, frias. No meio ficam o verde e o amarelo, com efeito de neutralidade.” Isilda Bezerra

Em uma semana alternei as cores: dois dias de uma, dois de outra. Passados alguns dias, repeti o intento. As reações foram variadas: Os que tinham dúvidas dias antes, passaram a crer que sabiam tudo sobre a minha posição política.
Recebi muitos tapinhas nas costas e abraços receptivos, demonstração de afeto e uma intimidade de “velhos amigos” que até dias atrás não existia, ouvi fofocas sobre amigos e inimigos dos partidos, diagnósticos políticos (afinal no Brasil somos todos técnicos de futebol e teóricos políticos). Muitos que me viram trajando a cor oposta à da sua coligação me viraram a cara, outros tentavam me aconselhar a votar nesse ou naquele candidato, às vezes forçando a barra.
Certo “amigo”, vendo-me na Praça do Povo, em horário de pico, vestido com a camisa da cor de sua preferência e acreditando que soubesse a minha resposta e que eu apoiaria a sua convicção, publicamente perguntou-me em alta voz em meio à uma pequena multidão: Quem você acha que vai levar esta?

Outro fato inusitado era a reação dos que em um momento me viram trajando camisa de uma cor e posteriormente com a cor oposta, ouvi muitas ironias, piadas, desaforos, apelos e alguns me confortaram.
Frases que ouvi: “Eles te compraram?” “ Vendeu teu passe?” “ Que quantia te deram pra você virar?” “ Fique tranquilo, estão todos virando pro nosso lado.” “ Ainda bem que você virou porque agora está no lugar certo.” “ Você deu sorte de ter vindo em tempo.” “ Volta pra cá moço; porque você virou?” “ Vou te avisar, é melhor você voltar antes que seja tarde.” “ Não acredito que você fez isso!”
Já participei ativamente de coligações que perderam e outras que ganharam, mas esta foi de longe a eleição mais interessante que vivenciei.
Gosto muito das minhas camisetas brancas, tenho umas coloridas que uso com frequência, a verdade é que estava chato não poder vestir as verdes e amarelas da minha coleção, mas eu nunca disse que elas representavam qualquer partido ou coligação.
A partir de agora saibam todos que não há cor proibida ou liberada na Constituição Brasileira. O que vale é o estado de espírito, o bom censo e a convicção do cidadão!                                           Está decretada a Liberdade Colorida!
Eu sou LouBrito...
Quero Estar Vivo Para Contar a História!

3 comentários:

Anônimo disse...

Hahaha interessante..

Anônimo disse...

hahaha interessante..

Anônimo disse...

Vai nadar......

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...