sábado, 2 de fevereiro de 2013

Alô Dilma! Nos acidentes de trânsito, a cada dois dias se registra a mesma contabilidade de mortos na tragédia da boate de Santa Maria

 (Paulo Filgueiras/EM/D.A PRESS)
A presidente Dilma demonstrou sensibilidade ao cancelar seus compromissos internacionais e voar para Santa Maria (RS) horas depois da tragédia que abalou o país. E ficou emocionada ao se encontrar com amigos e familiares dos mais de 200 jovens que morreram no incêndio da boate.Foi muito oportuno o comentário da jornalista Denise Rothenburg, nossa colega de jornal, num texto sobre o assunto. Ela observou que, recentemente, seu filho iria participar de uma excursão com a turma da escola. Ela entrou no ônibus para verificar seus dispositivos de segurança. Estrutura dos bancos, cintos, extintor de incêndio, saída de emergência etc. O motorista olhou enviesado para o monitor que acompanharia a turma como que a dizer: “O que esta doida está fazendo aí?”


Denise observou, com muita propriedade, que deveria haver mais 

“doidos” no Brasil. Mais gente preocupada com segurança e prevenção. Que agora, sempre depois do leite derramado, a legislação vai ficar mais rígida em locais fechados, como as boates. Mas a severidade da lei só se efetiva com a presença de fiscais “doidos” para exigir seu cumprimento.

A presidente Dilma chorou em Santa Maria. Mas nem ela nem nenhuma outra autoridade chora diante das 200 vidas que se perdem a cada dois dias no Brasil em acidentes de trânsito. É só fazer as contas: são 40 mil mortes por ano, mais de 100 por dia. É a mesma contabilidade macabra de um incêndio na Boate Kiss a cada dois dias, mas que já virou rotina e não sensibiliza mais ninguém.

O brasileiro não se preocupa com segurança, e quem o faz é “doido”. Outro dia, meu filho viajou num ônibus da Cometa de Belo Horizonte para o Rio de Janeiro. Antes da viagem, chamou o motorista, pois sua poltrona não tinha cinto de segurança. Ele disse que só passando na garagem da empresa para instalar o cinto ou trocar de ônibus. Outros passageiros protestaram e se ofereceram para ceder sua poltrona para o “doido” do meu filho. Para não “atrasar” a viagem. Ele negou e o motorista foi para a garagem substituir o ônibus por um com cintos em todas as poltronas. 

Dezenas de ônibus se acidentam nas estradas e passageiros morrem porque são atirados para fora ou esmagados em seu interior. O mesmo no banco traseiro do automóvel que capota ou sofre um violento choque frontal. Mortes que poderiam ser evitadas com a utilização do cinto.

Mas, como acidente “só acontece com os outros”, nem o passageiro se preocupa nem tem fiscal “doido” para fazer cumprir a lei. E então, na boate ou na estrada, os sinos dobram por todos nós, pois “quando um homem morre, morremos todos, pois somos parte da humanidade”.

SITE UAI

Um comentário:

Anônimo disse...

Esses burgueses do PSDBosta, não deixam passar nenhuma oportunidade para deturparem as coisas, mudar o foco e denegrir a imagem de quem tem a coragem de enfrentá-los e fazer o que ninguém fez em 500 anos de história. Como tem gente maldosa. Dilma é sim uma mulher do BEM,ao contrário dos santinhos que só ficam no altar e não FAZEM nada de CONCRETO E REAL, isso quando não só ficam no blá blá blá improdutivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...