sábado, 23 de fevereiro de 2013

Capelinha define cursos da área de Ciências Sociais como prioritários para campus


Cursos de Direito, Arquitetura e Urbanismo, Economia e Administração foram os mais lembrados pela Audiência Púbica
Como segunda opção, participantes escolheram a área de Ciências Agrárias
BANU
A Audiência Pública para escolha de cursos do campus de Capelinha da UFVJM definiu que os cursos prioritários serão os da área de Ciências Sociais, ou seja, Direito, Economia, Arquitetura e Urbanismo, Administração de Empresas (Gestão Pública), Serviço Social, Comunicação Social e outros.
Uma segunda opção serão os cursos da área de Ciências Agrárias. Porém, esta área acadêmica está bem servida na região com cursos na UFVJM, em Diamantina; no CEFET, em São João Evangelista; IFNMG, campus Salinas; UFMG, em Montes Claros; e UNIMONTES, campus Janaúba, no norte de Minas. Este quadro pode inviabilizar a aprovação do Ministério da Educação. 
                                   
O Salão do Clube Florae, no bairro Planalto, em Capelinha, no Alto Jequitinhonha, nordeste de Minas, ficou inteiramente cheio. Cerca de 700 pessoas participantes, com entusiasmo e argumentos afiados, debateram profundamente os diversos cursos que poderiam ser implantados.

Os estudantes do ensino médio estavam em maioria, principalmente das Escolas Estaduais Antônio Lago, Rosarinha Pimenta, de Chapadinha e Geralda Othoni. Completavam a platéia professores, gestores da educação, pais/mães, técnicos dos serviços públicos, jornalistas, empresários, trabalhadores rurais, comerciários e lideranças de vários segmentos, como prefeitos, vereadores e representantes de 9 municípios.

Na abertura, o prefeito de Capelinha, José Antônio Alves de Sousa, o Zezinho da Vitalina, destacou a luta do Movimento UFVJM pelo ensino superior, público, gratuito e de qualidade, lembrando da grande oportunidade que os jovens têm hoje de cursar uma faculdade, coisa pensa para poucos há alguns anos. Registrou o apoio político do Deputado Federal Reginaldo Lopes nesta empreitada e agradeceu a parceria que a Reitoria da UFVJM vem tendo com Capelinha.

O presidente da Câmara Municipal, Laerte Barrinha, também hipotecou apoio a esta luta. A Secretária Municipal de Educação, Maria Eunice Ribeiro, lembrou da luta dos pais para educarem seus filhos e incentivo para cursar faculdade. Porém, os jovens estudantes saem para outras cidades por não ter oportunidade na sua própria terra natal.   

A prefeita de Aricanduva, Arlete Gomes, destacou o campus universitário como o grande projeto de transformação econômica, social e cultural de toda a região.

A Audiência Pública foi convocada pela Prefeitura Municipal, tendo o apoio da Câmara Municipal e Movimento A UFVJM é nossa aconteceu nesta sexta-feira, 22.02, à tarde.


Palestras
O professor Pedro Ângelo Almeida Abreu, reitor da UFVJM,  proferiu palestra sobre o ensino universitário no Brasil e o grande avanço conseguido nos últimos 10 anos, de 2003 a 2013. Disse que o número de matrículas dobrou neste período, sendo o maior salto dado na história do Brasil. Porém, lembrou que apenas 13% da população de 18 a 24 anos estavam nas faculdades, enquanto o Chile possui 30% e Argentina 50%.

O reitor falou da oportunidade do Brasil avançar com a expansão universitária para cidades como Capelinha, Araçuaí e Almenara. Lembrou que o PNE Plano Nacional de Educação coloca como meta o atendimento a 20% da população da faixa etária citada. Então, precisaria dobrar o número de matrículas atual. 

Assim, as cidades do Vale incluídas no PDI – Plano de Desenvolvimento Institucional tem a grande oportunidade de realizar este grande projeto de instalação de campus em suas localidades.
Um dos destaques da fala do Reitor foi a explanação sobre o Parque Tecnológico que será instalado junto com o campus. Ele mostrou que há um déficit de registro de novas tecnologias no nosso país. O parque Tecnológico possibilitaria a testagem e produção de tecnologias a partir de pesquisas de estudantes, mestres e doutores do campus, inclusive apresentando soluções para grandes problemas apresentados pela sociedade local e regional.
  
A professora Geralda Luíza de Miranda, da FAFICH/UFMG, fez explanação sobre os cursos de Ciências Sociais, a formação acadêmica, campo de trabalho e salários iniciais.  Ela destacou a necessidade de cursos da área de Ciências Sociais como necessidade essencial para o desenvolvimento econômico-social com sustentabilidade e com Justiça Social, principalmente para regiões como Vale do Jequitinhonha.

Após as palestras, foram realizadas perguntas sobre os cursos, a UFVJM e viabilidade co campus. O reitor Pedro Ângelo informou que seria interessante a escolha por área acadêmica afim, não dispersando em várias áreas de conhecimento científico.

Álbano Silveira Machado, do Movimento UFVJM é nossa, lembrou que dois seminários foram realizados no segundo semestre de 2012, para Dara embasamento para a população definir os cursos preferidos. As temáticas dos eventos foram sobre os cursos de Ciências Agrárias e Licenciatura.

Debates em grupos
Os participantes foram divididos em 5 grupos para facilitar a maior participação de todos. Realizou-se debates profundos com argumentos bem engendrados pelos jovens estudantes e participantes em geral. As duas áreas de conhecimento de Ciências Sociais e Agrárias dividiam as discussões.
No final, os cursos de Ciências Sociais como Direito, Economia, Arquitetura e Urbanismo, Administração de empresas, Gestão Pública, Serviço Social e Comunicação Social foram destacados como prioritários.
Um número significativo de participantes optou pela área de Ciências Agrárias com cursos como Engenharia Florestal e Agronomia. Outros preferiam a área da Saúde.

No final, foi comunicado à Plenária que um Relatório será elaborado pela Coordenação da Audiência Pública e encaminhado à Reitoria da UFVJM.
Posteriormente, haverá a elaboração de um Projeto Técnico que será apresentado à UFVJM e ao Ministério da Educação, onde serão anexados o documento da Audiência Pública e a Escritura dos terrenos doados à UFVJM para instalação do campus e Parque Tecnológico.
Foi informado pelo Secretário de Comunicação Social, Tico Neves, que os dois terrenos terão 125 hectares, sendo 50 hectares para o campus, na região do trevo da estrada de Novo Cruzeiro, e 75 hectares para o Parque Tecnológico, perto do Aeroporto e Clube da AABB.  

O prefeito Zezinho da Vitalina encerrou a Audiência Pública parabenizando a todos, registrando o grande marco histórico daquele evento nas comemorações do Centenário de Capelinha. Ele lembrou de grandes lutadores por esta grande causa como o ex-prefeito Pedro Vieira e da socióloga Maria do Rosário Sampaio.

Um comentário:

Sandoval Barbosa disse...

Acho válido o blog de vocês que informam a população os acontecimentos da cidade e região.

Mas na minha opinião vocês deveriam pesquisar antes de publicar alguma coisa. Exemplo nessa matéria vocês citam o IFMG - Campus São João Evangelista como CEFET.

Erro grotesco.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...