sábado, 13 de abril de 2013

Conta de água fica mais cara em Minas


Reajuste de 5,25% nas faturas da Copasa vale a partir de 13 de maio e supera correção de 4,34% aplicada no ano passado
Zulmira Furbino -
A conta de água dos consumidores da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) vai ficar 5,25% mais cara a partir de 13 de maio, informou ontem a Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do estado (Arsae). O reajuste vai pesar ainda mais no bolso do consumidor, já castigado por uma inflação de 0,47% em março. De acordo com o órgão regulador, o índice seria 1,1% maior caso a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) não tivesse reduzido a revisão tarifária da Cemig de 9,06% para 4,99%. A Copasa é uma grande consumidora de energia e o recuo no reajuste da companhia de eletricidade provocou uma retração das correções de preço em cadeia. No ano passado, a conta de água dos consumidores da Copasa foi corrigida em média em 4,34%. 

Segundo a Arsae, a inflação do período anterior ao reajuste, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de abril do ano passado para cá ficou em 6,33%; o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), em 6,99%; e o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) em 7,57%. De acordo com o diretor-adjunto do Instituto Ipead, Wanderley Ramalho, o reajuste preocupa porque qualquer notícia de aumento de preços neste momento é ruim, já que as expectativas da economia estão muito acirradas. 

“O consumidor tem que manter a cabeça fria e adotar uma conduta ativa. A participação dele dá transparência ao processo e reduz a especulação”, afirma Ramalho. De acordo com o especialista, os consumidores devem punir os especuladores, negando-se a consumir produtos que tenham seu preço elevado sem justificativa. Em Juiz de Fora, a agência reguladora definiu, no início de março, que as tarifas da Companhia de Saneamento Municipal de Juiz de Fora (Cesama) serão reajustadas em 5,77%. 

Um ano depois que a Arsae alterou o critério para obtenção da Tarifa Social, a Copasa já cadastrou um número superior a 700 mil famílias, mais que o dobro das 317 mil famílias beneficiadas em abril de 2012 pelo critério anterior. A alteração da Tarifa Social foi uma iniciativa da agência reguladora, que espera que até abril de 2014 a companhia alcance mais de 1 milhão de famílias registradas no Cadastro Único para Programas Sociais nas cidades em que atua, multiplicando por 3,5 o número de famílias anteriormente beneficiadas.

Inflação do idoso pesa mais
O custo de vida para idosos está maior que o da população em geral, aponta índice divulgado ontem pela Fundação Getulio Vargas (FGV). O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i) subiu 1,82% no primeiro trimestre e acumula alta de 6,34% em 12 meses. Já o Índice de Preços ao Consumidor - Brasil (IPC-BR), também divulgado pela instituição e que considera a inflação geral, avançou 6,16% no mesmo período.

O acréscimo de 0,23 ponto percentual na taxa verificada pela FGV entre o último trimestre de 2012 e o primeiro deste ano decorre principalmente do grupo alimentação, que passou de 2,13% para 6,52% no período. O mesmo ocorreu com o IPCA. A alta foi puxada principalmente pelas hortaliças e legumes, cuja taxa passou de queda de 13,02% para alta de 46,67%.

4 comentários:

Anônimo disse...

Este é o presente q/ os Políticos dão p/ o povo. É por essas e outras, q/ prego o voto nulo, p/ todos os cargos nas próxima eleições. Nenhum Político, pode-se confiar e respeitar.

Anônimo disse...

Há um ano decidi exercer minhas atividades laborativas na cidade de Capelinha/MG, depois de passar longa data trabalhando em regiões como o Norte de Minas e o Triângulo Mineiro. Duas situações distintas me levaram a tomar tal decisão. A 1ª delas foi em virtude da minha família residir na cidade de Turmalina, minha Terra Natal. A 2ª, foi que vi em Capelinha um lugar acolhedor e progressista, vislumbrando campo fértil para que eu pudesse Promover a Paz Social enquanto Policial Militar. Confesso que acertei nos dois detalhes que culminaram no processo decisório, contudo, não imaginava que a inoperância de uma equipe viesse a causar tanto transtorno na vida de muitos Capelinhenses e visitantes: "a falta constante de água!". A ausência dessa fonte de essência da vida, tem levado a decadência os norteadores de uma qualidade de vida digna, espantando inclusive investidores nesta URBE. Não estou desabafando, nem tampouco, querendo aparecer para as pessoas como um lider negativo rumo a resistência. Simplismente, a falta de água constante é desproporcional ao que o município de Capelinha tem a oferecer. É muito arriscado e imprudente acelar o crescimento de uma cidade, quando a visão não está voltada para as questões da sustentabilidade. COMUNIDADE, vamos abraçar a causa e lutar em prol da dignidade humana, mesmo aqueles que tem o luxo de não sofrer com esse problema.

Anônimo disse...

infelizmente, em nossa cidade vemos so as coisas aumentando a população crescendo e a nossa copasa ficando pra traz não acompanhando o ritimo da cidade e deixando varias pessoas se agua potavel por mais de três dias onde estão os gestores da copasa de capelinha oq estão fazendo a respeito sabem do problema que é sempre o mesmo e não tomam providencias nenhuma isso é uma vergonha pra uma cidade do porte de capelinha mas como capelinhese aindo espero melhoras para minha cidade ....

Anônimo disse...

sou filho desta cidade moro aqui desde os anos 70 de la pra ca mudou muito pouco ou quase nada na area de investimentos em saneamento e distribuiçao de agua , considerando em bem basico e primario a uma residencia e lastimavel ver que a cada dia a cidade cresce e nada faz nada se investe;fala-se na economia de agua esta semana com falta de agua na cidade a copasa pre dispos um caminhao pipa distribuindo em alguns pontos da cidade o qual mais derramava do atendia a populaçao furos com vazamentos a toda parte ai pessoal parece brincadeira essa copasa que so arrecada e nunca investe em......

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...