terça-feira, 2 de julho de 2013

Polícia Federal faz operação em MG para desarticular esquema de desvio de recursos

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira, a operação Violência Invisível, com o objetivo de desarticular organização criminosa que desviava recursos públicos de mais de uma centena de cidades dos estados de Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Pará, Sergipe, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Pernambuco, Paraíba, Maranhão e Bahia, por meio de fraudes em processos licitatórios destinados à aquisição de precatórios judiciais.

Cerca de cem policiais estão cumprindo simultaneamente 53 mandados judiciais, sendo 20 de busca e apreensão; 21 de sequestro de valores, bens móveis e imóveis, três de condução coercitiva e nove de prisão temporária.Os trabalhos contam com a participação do Ministério Público de Minas Gerais e da Receita Federal do Brasil. A atuação da organização criminosa, pela complexidade, será julgada tanto pela Justiça Federal, quanto pela Justiça Estadual.

A quadrilha, formada por empresas, pessoas físicas, servidores públicos e ex-prefeitos, fraudava processos licitatórios, direcionando as contratações a uma das empresas integrantes da organização criminosa. Essa empresa vencia as licitações com o compromisso de fazer a compensação entre precatórios judiciais e as dívidas das prefeituras, sob o argumento de uma economia de até 30% sobre os valores devidos ao INSS, prática proibida expressamente pela lei.

Minas

Os municípios mineiros que, até o momento, sofreram com a ação do grupo criminoso foram: Águas Vermelhas/MG, Capelinha/MG, Caratinga/MG, Ipatinga/MG, Itambacuri/MG, Janaúba/MG, Montes Claros/MG, Pirapora/MG, Rio Pardo de Minas/MG, Várzea da Palma/MG, Varzelândia/MG, além do CISRUN – Consórcio intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência do Norte de Minas. Somente em Minas Gerais foram desviados mais de R$ 70 milhões de reais.

Os presos responderão por crimes contra a administração pública, formação de quadrilha, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro, fraude às licitações, corrupção ativa e passiva, dentre outros.
O nome da Operação está relacionada à violência operada contra o cidadão nos casos de corrupção pública  que, silenciosamente, provoca sérios danos à Nação.


Valores
Os valores desviados - apenas dos municípios mineiros - ultrapassam os R$ 71 milhões (R$ 71.929.159,74). Para se ter uma ideia, em Capelinha, foram desviados R$ 4.537.413,91, o que ganha mais importância em razão do baixo Produto Interno Bruto do município de 35 mil habitantes: cerca de R$ 217 milhões, em 2010. Em Pirapora, R$ 2,8 milhões seriam pagos, o que foi suspenso em virtude da divulgação das irregularidades pela mídia em dezembro de 2012. “É dinheiro que se foi e não volta mais! Não tenho dúvidas que o grupo já ocultou o dinheiro”, lamenta Marcelo Freitas.

Fonte: Polícia Federal

14 comentários:

Anônimo disse...

Quem estão sendo os culpados pela policia federal ?

Anônimo disse...

Os valores desviados - apenas dos municípios mineiros - ultrapassam os R$ 71 milhões (R$ 71.929.159,74). Para se ter uma ideia, em Capelinha, foram desviados R$ 4.537.413,91, o que ganha mais importância em razão do baixo Produto Interno Bruto do município de 35 mil habitantes: cerca de R$ 217 milhões, em 2010. Em Pirapora, R$ 2,8 milhões seriam pagos, o que foi suspenso em virtude da divulgação das irregularidades pela mídia em dezembro de 2012. “É dinheiro que se foi e não volta mais! Não tenho dúvidas que o grupo já ocultou o dinheiro”, lamenta Marcelo Freitas. (fonte: http://depositonews.blogspot.com.br/)

Anônimo disse...

Parabéns ao Blogger. Notícias atualizadas, de forma apartidária. Isso é informação de qualidade.

Anônimo disse...

quem é o culpado,a prefeituras a empresa que vendeu os precatórios.
o dinheiro ficou com quem INSS,prefeitura ou a empresa que vendeu os precatorios

GELSON disse...

AGORA ME CONTA UMA NOVIDADE ! E PELO JEITO TA CONTINUANDO A MESMA COISA .

Anônimo disse...

ginásio poliesportivo,Funasa ,merenda escolar total 13.000.000,00 milhões 1996/2003 pontes ,ruas Jose Alves martins alameda centro viva vida mais uns 3.000.000,00 2003/2008 precatórios 4.500.000,00 se gritar pega ladrão.coitados vão sobra muito poucos políticos em capelinha mg.
13000000,00
3000000,00
+ 4500000,00
---------------
20500000,00 absurdo.

Anônimo disse...

muitos estão preocupados, alguns não dormem mais, o pior é que o povo é cego. Ainda acreditam em papai noel.

Anônimo disse...

a investigação é de 2009 até 20013 eles pagavam com títulos falsos , sobra para todos que estão na prefeitura , para o prefeito atual , para o presidente da câmara , pois tbm fechou o ano 20012 para os dois tesoureiros , o Inss de capelinha está enrolado,

Anônimo disse...

A realidade de capelinha ter parado em desenvolvimento ta na nossa cara.mas estamos fechando os olhos para o futuro de nossos filhos .temos que acordaa urgentee

Anônimo disse...

Gente, parece até que vocês não estão "antenados"... ouçam a rádio Aranãs e fiquem por dentro da imensidão de obras que a prefeitura de Capelinha está realizando. Foram apenas 6 meses e muitas ações.

Anônimo disse...

Muitas ações?! o estádio Newton Ribeiro tá em reforma desde 4 de janeiro de 2013... êta escada difícil de concluir! Mas não ficará pronto para a Copa Aranãs... é que não tá dando tempo, 6 meses é pouco tempo para concluir... kkkk ... virou mania no Brasil superfaturar obras destinadas ao esporte...

Anônimo disse...

porque num aceitam alguns comentarios , puxa saco !

Anônimo disse...

anomimo disse as autoridades responsaveis deveriam passar a atual realidade para a populacao e ema vergonha para capelinha...

Anônimo disse...

até a onde eu sei,que quando o atual prefeito vei a falecer faltava o decimo terceiro e o pagamento de dezembro e dod fornevedores este dinheiro estava nos cofres publicos ai quem ia assumir imagina eles com este monte de cheque sem fundos da campanha o que iria acontecer ?
voces sabem

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...