terça-feira, 1 de outubro de 2013

Esclarecimentos do SIND-UTE

  
Informações por  parte da Coordenadora Geral do Sind-UTE MG;  Beatriz Cerqueira após  a reunião com o governo de MG no dia 23 de setembro de 2013.


Síntese do que foi apresentado pelo Governo do Estado aos sindicatos da educação em reunião realizada na última semana.

- 5% de reajuste nas tabelas de subsídio;
- quem tiver cumprido os requisitos para progressão no período de 2012 a 2014, terá uma progressão (equivale a 2,5%)
Esta foi a proposta apresentada, além de uma palestra sobre regras de carreira que todos já sabiam.

Problemas que já identificamos e discutimos com o governo:

- não foi apresentada nenhuma proposta sobre promoção na carreira. Vale lembrar que os concursados de 2004 não tiveram nenhuma promoção na carreira até hoje. Também há problemas para os efetivados que continuam recebendo como estudantes de licenciatura. Com esta proposta, a carreira continua congelada. De acordo com o artigo 19 da Lei Estadual 19.837/11, as promoções terão vigência a partir de janeiro de 2016, mas isso não garante o imediato pagando. Isso quer dizer que nem em janeiro de 2016 há garantia de recebimento da promoção por escolaridade adicional

- 5% não repõe nem a inflação do período das tabelas do subsídio. Queremos proposta de pagamento do Piso Salarial como vencimento básico. O governo também não respondeu sobre o passivo que deve aos profissionais do magistério, uma vez o STF já definiu que o Piso como vencimento básico é devido desde abril de 2011. Também não respondeu ao questionamento do sindicato sobre o reajuste que, por lei federal, é o custo aluno (7,97% em 2013).

- A VTAP (Vantagem Temporária de Antecipação de Posicionamento) corresponde ao passado do servidor e não pode ser anunciada como projeção de futuro da carreira. O parcelamento até 2015 continuará.

- As distorções nas tabelas salariais entre servidores com a mesma escolaridade continuam e precisam de correção, como por exemplo, a tabela dos Assistentes Técnicos da Educação Básica cuja escolaridade exigida é nível médio e recebem menos que o PEBT1.

2 comentários:

Anônimo disse...

Boa tarde Alequison, obrigada por registrar a informação de esclarecimento por parte do Sind-UTE MG.
Estamos aguardando nova reunião com os representantes do governo para tentar melhorar a situação do reajuste para os trabalhadores/as em Educação de Minas Gerais.

Abraços.

Marize.

Anônimo disse...

Quando é p/ aumentar os salários dos trabalhadores, neste caso específico dos professores, o aumento q/ o governo propõe, muitas vezes não repõe nem a inflação. Agora, qdo é p/ aumentar os salários dos políticos, é sempre muito acima da inflação e é acompanhado tb de muitas mordomias.Sem falar nos aumentos absurdos dos impostos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...