sábado, 14 de dezembro de 2013

Falta prevenção em municípios

Das cidades atingidas em 2010/2011, 41,6% não fizeram obras, revela Fundação João Pinheiro

Quase metade das 356 cidades de Minas que foram atingidas por inundações no período chuvoso 2010/2011 não fizeram nenhuma obra para contornar o problema, segundo estudo do Sistema Estadual sobre Informações de Saneamento (Seis) da Fundação João Pinheiro. De acordo com o levantamento, do total de municípios atingidos, 41,6% não fizeram nenhuma intervenção para amenizar os problemas causados pelas chuvas, mesmo após sofrer com enchentes, e 6,2% sequer responderam a pesquisa. Os outros 52,6% conseguiram viabilizar ao menos uma obra para aumentar a capacidade de escoamento da água.
“Embora mais da metade dos municípios tenha tomado alguma atitude com relação aos problemas ocasionados pelas chuvas, mais de 40% continuaram na inércia. Isso é um dado preocupante, porque o problema pode voltar a acontecer”, analisou Denise Maia, pesquisadora da Fundação João Pinheiro.

Secretária executiva da Associação de Municípios do Alto Jequitinhonha, Amanda Pires explica que os municípios não contam com recursos suficientes para fazer as obras, e muitos não têm nem corpo técnico para realizar projetos para buscar repasses dos governos Estadual e Federal. “A maioria das cidades não conta com engenheiros ou arquitetos em seus quadros para fazer projetos. Por isso criamos a associação, que conta com um quadro de técnicos para auxiliar os prefeitos”, explicou Amanda.

A pesquisa também mostrou que 92,4% das cidades mineiras contam com algum tipo de rede de drenagem. No entanto, isso não quer dizer que o serviço é suficiente. “Ainda estamos fazendo a análise dos números. Divulgamos agora os dados quantitativos e, no próximo ano, o estudo mostrará se essa rede de drenagem atende as necessidades do município. Não basta ter só uma boca de lobo e galerias apertadas”, explicou a pesquisadora Denise Maia.

Drenagem. Um dos problemas já apontados na pesquisa é que nem todas as redes de drenagem separam a água pluvial do esgoto. Apenas 43% das cidades contavam com essa separação, enquanto 47% tinham rede mista. No caso em que o escoamento da água da chuva é feito junto com a rede de esgoto, o risco de contaminação de doenças em enchentes aumenta consideravelmente.

O Seis também revelou que o transbordamento dos cursos d’água é a principal causa das enchentes, seguido do entupimento das bocas de lobo.

No período chuvoso de 2010/2011, 25 cidades dos vales do Jequitinhonha e Mucuri tiveram problema com inundação.

Inundações
Atingidos. A pesquisa da Fundação João Pinheiro também mostrou que 38.325 residências em Minas sofreram com inundações provocadas por temporais no período chuvoso 2010/2011.

JORNAL O TEMPO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...