quarta-feira, 4 de junho de 2014

Ocupação de residência estudantil inacabada da UFVJM recebe apoio de movimentos sociais do Vale

A ocupação da residência estudantil da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) recebeu o apoio de vários movimentos sociais do Vale do Jequitinhonha na tarde desta terça-feira, 02 de junho, em uma reunião na cidade de Coronel Murta. Os grupos apoiam irrestritamente o movimento realizado pelos estudantes que ocupam deste a madrugada de 31 de maio uma construção inacabada que será destinada a moradia de estudantes da universidade.

Durante a reunião, o professor de Geografia da UFVJM, Mateus Sevilha, relatou sobre a ocupação e afirmou que na área de ciências humanas, cerca de 50% dos matriculados abandonam o curso devido aos altos custos de moradia, alimentação e transporte praticados na cidade de Diamantina. Para o professor falta prioridade da gestão no atendimento aos estudantes de baixa renda matriculados na instituição. Segundo ele, o restaurante universitário (RU) tem algumas pilastras levantadas há mais de 5 anos e ainda não foi concluído. Em oposição, há prédios que servirão como centro de pesquisas sendo estruturados em poucos meses.

Para Aline Ruas, do Movimento Atingidos por Barragens (MAB), de Araçuaí, os estudantes não podem ficar sozinhos nesta luta, para ela a luta é de todo o povo do Vale. José Nelson Pereira dos Santos, da Articulação do Semi-árido (ASA), afirma que a luta é difícil, mas o Conselho Universitário da UFVJM (CONSU) deve tomar uma posição para evitar o despejo dos estudantes. Ainda segundo ele, o Reitor Pedro Ângelo não pode tomar decisão sozinho sobre a situação.

O movimento estudantil também recebe o apoio de políticos da região. Vagner Alves de Abreu, professor de Turmalina, e Marlon Barbosa, de Virgem da Lapa, ambos assessores parlamentares, se propuseram a ajudar articular o apoio da Assembleia Legislativa de Minas.

O vereador de Itaobim e suplente de deputado estadual, Jean Freire, falou da importância de todo o povo do Vale se movimentar em solidariedade aos estudantes, fazendo campanha para aquisição de alimentos e equipamentos de cozinha e quarto, de acordo com a necessidade. Politicamente, mostrou-se disposto a articular uma audiência no Ministério da Educação e concitou as Câmaras Municipais dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri a aprovarem Moção de Apoio aos estudantes. Jean informou que ele, o colega vereador Marcus Vinicius, ambos de Itaobim, e Albano Silveira, do “Movimento a UFVJM é nossa” haviam visitado o prédio ocupado, no domingo, 01/06. Falou da emoção de todos na Assembleia de nomeação de ruas do alojamento com nomes sugestivos e simbólicos como Utopia, Escravo Isidoro, Juanita e outros, com várias comissões organizadas. Todos três colocaram-se à disposição para fortalecer a luta na conquista definitiva da moradia estudantil.

O psicólogo, Albano Silveira Machado, do Movimento A UFVJM é Nossa!, morador de Capelinha, disse que procuraria articular as comissões organizadas em Araçuaí, Almenara e Capelinha para obterem apoio das organizações locais, divulgando o fato, além de coordenar um abaixo-assinado nas escolas secundaristas, nos sindicatos e associações. Adiantou que seria de fundamental importância que os membros do CONSU formassem uma comissão para visita in loco da Moradia Estudantil e apresentar a questão, de caráter urgente, como ponto de pauta para discussão e decisão na reunião que se realiza nesta quinta-feira, 05 de junho, em Diamantina. Também faria a divulgação da ocupação nas redes sociais e outros meios de comunicação do Vale.

Aconteceu no Vale

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...