sábado, 2 de maio de 2015

Geralmente não enxergamos as coisas como elas são, mas como nós somos

                                     
Neste vídeo eu estou falando sobre relacionamentos em geral. Para essa reflexão, eu busquei como base, a fala de um antigo poeta que dizia algo do tipo: “nós não enxergamos as coisas como elas são, nós as enxergamos como nós somos.”

Ou seja, nossa percepção em relação á tudo e todos que estão á nossa volta, é quase sempre pautada pelas categorias que são fundamentadas em nosso próprio caráter. Nossa motivação interior é a lente pela qual enxergamos o mundo.

Por exemplo: aqueles que são acostumados com traições, mentiras, lamúrias, ingratidão, corrupção e implicações deste tipo, têm uma tendência natural em ver essas coisas em todos que os circundam, não sabendo discernir quando não é assim.

Em uma carta direcionada á Tito, Paulo dos Apóstolos escreve uma frase que reforça esse conceito, ele diz, “para os puros, tudo é puro, para os impuros tudo é impuro, pois suas mentes e consciências estão corrompidas”.

Ou seja, não tem como ser diferente; alguém que esteja abarrotado de impurezas emocionais, não tem condições de lidar com nada que seja puro, pois, provavelmente vai usar como julgamento, os critérios que correspondem as suas únicas referências possíveis, que são as condições inferiores enraizadas em si mesmo.

Por Aléquison Gomes 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...