terça-feira, 8 de novembro de 2016

SUSPEITO DE FRAUDAR ENEM EM CAPELINHA NÃO FEZ PROVA NO DOMINGO



Polícia Militar foi acionada pela Polícia Federal, que passou o nome e a sala de prova do investigado, mas ele não apareceu

Conforme matéria exibida ontem no Fantástico (Rede Globo), Capelinha está na rota das investigações da Polícia Federal (PF), que deflagrou em Montes Claros e em outros municípios do país a Operação Embuste, contra fraudes no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). A cidade virou alvo da operação por causa de um homem que se inscreveu para fazer as provas em Capelinha, ele é um dos suspeitos de participação no esquema. Conforme apurou a reportagem do JORNAL LOCAL, o suspeito faria a prova na Escola Estadual Professor Antônio Lago.

Porém, a abordagem ao suspeito, que aconteceria neste domingo, 6 de novembro, não ocorreu porque o homem não compareceu ao local da prova. Como as provas do Enem são lacradas, ainda não foi informado se o suspeito chegou a fazer prova no sábado.

Segundo o tenente Ramon Pires, da Polícia Militar de Capelinha, a Polícia Federal acionou a PM e informou o nome e a sala onde o suspeito faria a prova. “Fomos informados de que teria esse alvo em Capelinha, nos posicionamos para abordá-lo, mas ele não foi fazer a prova. As únicas informações passadas foram o nome e a sala do suspeito, que serão mantidos em sigilo para não atrapalhar as investigações. Porém, toda a investigação é da Polícia Federal, nós da Polícia Militar de Capelinha apenas realizamos os procedimentos que nos foram solicitados”, informa o tenente Ramon.

As investigações foram iniciadas 15 dias antes das provas e continuam em todo o Brasil. A Polícia Federal descobriu que no primeiro dia do Enem 2016 a quadrilha transmitiria respostas das provas para Sete Lagoas, Capelinha e Belo Horizonte (em Minas Gerais), Vitória da Conquista (na Bahia) e Caucaia (no Ceará). O candidato Antônio Diego de Lima Rodrigues foi preso no Ceará, com um equipamento usado para receber o gabarito. E o ex-estudante de medicina Rodrigo Ferreira Viana é apontado pela Polícia Federal como líder da quadrilha, que além do Enem fraudou outros vestibulares. Ele e outras dez pessoas foram presas durante a Operação Embuste.
A quadrilha utilizava equipamento sofisticado e, de acordo com o delegado da PF, Marcelo Freitas, cobrava entre R$ 150 e R$ 180 mil reais, a depender da universidade que o candidato pretendia ingressar.

SOFIA MACEDO
Após a exibição da matéria no Fantástico, onde foi exibida a foto da estudante Sofia Macedo, que é de Carbonita e mora em Belo Horizonte, muitos moradores de Capelinha imaginaram que Sofia seria a pessoa investigada em Capelinha, já que ela costuma frequentar a cidade. Porém, conforme a Polícia Militar de Capelinha, a pessoa que seria abordada na cidade é um homem.

Sofia Macedo está sendo hostilizada em seu perfil no Facebook por milhares de pessoas. A ela é atribuída uma voz, gravada pela Polícia Federal, que faz parte de uma conversa com um dos suspeitos da fraude. No esquema, o fraudador pediu à estudante para tossir, uma ou duas vezes, era um código para confirmar se ela estava ouvindo as respostas da prova. A reportagem do JORNAL LOCAL entrou em contato com Sofia, via Facebook, mas até o momento não obteve resposta.

Jornal Local

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...